Falta de tempo? Acho que não é bem isso.

O fim de ano chegou, o natal passou e 2011 vem aí. E é neste período entre o natal e ano novo que você começa a lembrar que só procrastinou e não cumpriu nenhuma de suas metas para o ano. Bem, pelo menos é o meu caso.

Lembro que em novembro o Efetividade.net nos lembrava da chegada do mês de dezembro e que era tempo para começarmos desde já a fazer aquilo que queríamos para 2010 e não havíamos feito. Li o post, fiz até uma lista do que gostaria de fazer e adivinhem: não fiz nada.

Procrastinação

Queria ter começado algum projeto, ler os livros que comprei, ler aqueles links guardados há meses no ReadItLater, favoritos e delicious, estudar uma nova linguagem de programação, voltar a programar qualquer besteira, entre outras coisas.

Para fazer isso eu deveria fazer melhor uso do meu tempo e não ficar somente vagando sem rumo pela rede mundial de computadores. Já pesquisei diversas maneiras de organizar o meu tempo e a única que surtiu efeito foi a Técnica Pomodoro. Mas o motivo do meu problema é simples: não faço bom uso do meu tempo. Tenho a mania de passar mais tempo organizando o que fazer do que simplesmente… fazer.

Venho sempre me perguntando por que não fiz isso, por que não fiz aquilo… por quê? Estou usando meu tempo para coisas realmente importantes? O que estou fazendo irá contribuir para meu crescimento pessoal e/ou profissional? Deveria fazer outra coisa neste momento? Então faça! Quero mudar alguma coisa na minha vida no próximo ano? Se quer mudar, faça isso agora!

Baseado em minha própria experiência posso dizer que essa de ficar planejando o que fazer em determinado dia nunca dá certo. Como no dia que resolvi ficar desconectado: eu não planejei isso. Tive a ideia num dia e no outro resolvi me desconectar de tudo e de todos. Ter um tempo para mim, fazer as coisas que quero sem me estressar. Se você pensou em realizar aquela faxina nos seus contatos, ligar para alguém que não vê há muito tempo, ler um livro, qualquer coisa, e há tempo sobrando: faça isso logo! Não fique deixando para fazer depois porque nunca fará.

Sei que não sou um exemplo a ser seguido quanto a isso, mas vou mudar. Pelo menos estou tentando.

Sobre Wesley Cota

Bacharel em Física pela Universidade Federal de Viçosa e estudante de Doutorado em Física pela mesma instituição. Tem uma profunda paixão por qualquer tecnologia, ama física e gosta de ler sobre diversos assuntos. Atualmente faz estudo computacional e analítico de modelos epidemiológicos e estruturação de Redes Complexas.
Esta entrada foi publicada em Pessoal e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Falta de tempo? Acho que não é bem isso.

  1. Pingback: O tomate e o tempo | Blog do Wesley Cota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*